Seguidores

terça-feira, 10 de março de 2015

II ENCONTRO DE POETAS CORDELISTAS EM IPUEIRAS


Amigos, hoje estou postando o cordel de Thiago Cardozo

Presidente da Sociedade dos Poetas de Araripe – CE.
Que inspirado no II ENCONTRO DE POETAS CORDELISTAS EM IPUEIRAS,
Registrou o evento em versos. 
Obrigada pelo mimo, Thiago Cardoso, vou partilhar com os participantes do encontro.

*

II ENCONTRO DE POETAS CORDELISTAS EM IPUEIRAS – CE – 22

DE JANEIRO DE 2015
*

Em 22 de janeiro

Eu rompi muitas fronteiras

Pra chegar a Ipueiras

Lugar bom e altaneiro,

De um povo hospitaleiro

De integridade completa

Superou a minha meta

O que lá pude provar,

Aquele belo lugar

Dá grão valor a poeta.
*
Fiquei de alma inquieta

Logo ao chegar no embalo,

Encontrei mestre Gonçalo

Tão respeitado poeta

Que o oculto interpreta

Ao cantar filosofia

Ele é de academia

Merece todo respeito,

Com seu tão singelo jeito

Me encantou com poesia.
*
Foi uma bela homilia

Que seu Gonçalo falou

Quando bem me ensinou

Coisas que eu não sabia

Enriqueceu minha via

Que eu traço desde agora

E pratico sem demora

Por ser bom o que escutei,

De tudo só lamentei

O momento de ir embora.
*
Ao chegar, também na hora

Me acolheu dona Dalinha

No cordel top de linha

Poetisa que adora

O cantar que revigora

Com liberdade e essência

Sua farta residência

Me acolheu bem feliz,

Poetisa de raiz

Faz cordel com excelência.
*

Me pus com benevolência

Ante Dalinha Catunda

Cordelista tão profunda,

Trata a arte com decência

Por zelar na obediência

Para com Deus Criador,

Seu verso é um louvor

Agrada a quem escutar,

Ouvir Dalinha cantar

Ao poeta dá fervor.
*

Poeta de grão valor

Dideus Sales conheci

Também seus versos ouvi

E muito lhe dei valor,

É de fato trovador

Das coisas do meu sertão

Tem tino e inspiração

Vinda de Deus com certeza

Com agilidade e destreza

Faz verso com perfeição.
*

Tocou o meu coração

Cantando com maestria

Também Tião Simpatia

Que tocando violão

Cativou a atenção

Dos vates que ali estavam

E que lhe solicitavam

Suas canções preferidas,

Sendo elas atendidas

Todos com ele cantavam.
*

Dos que já me acompanhavam

Desde o belo Cariri

Quero mencionar aqui

Pois belo efeito causavam

Enquanto participavam

Desse evento tão aberto,

Jussylanne e Zé Roberto

As Fátimas e Liduína,

Chica, jóia genuína

Deixando o povo esperto.
*
De verso inteiro e bem certo

Consta também no enredo

Pois, Anilda Figueiredo,

A quem não sabe eu alerto:

Tem o coração aberto

E sabe valorizar

O que Jesus lhe mandar

Em favor da poesia,

É flor de grande valia

Do Cratinho, seu lugar.
*
Também quero mencionar

A grande Marlúbia Melo

Da Educação um elo

De Ipueiras grão lugar,

A ela devo exaltar

Por fazer com perfeição

Sendo da Educação

Secretária de valor,

Sei trabalha com amor

Com mente e com coração.
*

segunda-feira, 9 de março de 2015

Marcos Medeiros & Dalinha Catunda



MM & DC
Euzinho, Marcos Medeiros (MM), partilhando versos com a querida poetisa Dalinha Catunda (DC)!
ASSIM SOU GRATO AO SENHOR
POR TUDO QUE SOU NA VIDA

MM
Sou vaqueiro, sou boiada,
Sou patrão, sou serviçal,
Sou diverso, sou igual,
Sou seca, sou invernada,
Sou dia, sou madrugada,
Sou fome e também comida,
Sou saúde, sou ferida,
Sou paciente e doutor,
ASSIM SOU GRATO AO SENHOR
POR TUDO QUE SOU NA VIDA!

DC
Sou rio, sou correnteza,
Sou cascata, sou respingo,
Sou cacimba, sou um pingo,
Sou orvalho, sou beleza,
Sou água, sou natureza,
Sou forte, sou atrevida,
Sou o gole, sou sorvida,
Sou vida, sou esplendor,
ASSIM SOU GRATO AO SENHOR
POR TUDO QUE SOU NA VIDA!

MM
Sou o gosto da amizade
Sou amargor do desgosto
Sou a lágrima no rosto
Sou riso e felicidade
Sou mentira e sou verdade
Sou a saudade incontida
Sou a teima e a recaída
Sou a preguiça e o labor
ASSIM SOU GRATO AO SENHOR
POR TUDO QUE SOU NA VIDA!

DC
Sou barro lá do sertão
Sou a brisa refrescante
Sou o calor escaldante
Sou sussurros no colchão
Sou a trilha da emoção
Sou de nascença atrevida.
Sou sem peso e sem medida
Sou espinho e sou a flor
ASSIM SOU GRATO AO SENHOR
POR TUDO QUE SOU NA VIDA!

MM
Sou passarinho cantante
Sou silêncio, sou surdez,
Sou quem desmanchou e fez
Sou mandão, sou suplicante,
Sou tempo, sou cada instante,
Sou chegada e sou partida,
Sou escrita pra ser lida,
Sou leitor, sou escritor,
ASSIM SOU GRATO AO SENHOR
POR TUDO QUE SOU NA VIDA!

DC
Sou linha da liberdade
Sou pipa lá no infinito
Sou o canto mais bonito
Sou eu a sinceridade
Sou o choro da saudade
Sou a vida bem vivida
Sou a paixão que convida
Sou o par do cantador
ASSIM SOU GRATO AO SENHOR
POR TUDO QUE SOU NA VIDA!

MM
Sou amante da gentileza,
Sou pensamento e atitude,
Sou defeito e sou virtude,
Sou feiura e sou beleza,
Sou remanso e correnteza,
Sou ganga e pedra polida,
Sou abstêmio e bebida,
Sou medo e sou destemor,
ASSIM SOU GRATO AO SENHOR
POR TUDO QUE SOU NA VIDA!

 *
lustração de Dalinha Catunda

domingo, 8 de março de 2015

DÁLIA-FLOR



UM ACRÓSTICO PARA A QUERIDA POETISA DALINHA CATUNDA, NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER
(Violante Pimentel - Natal, 08.03.2015)

DÁLIA-FLOR
DÁLIA - FLOR, DÁLIA - MULHER...
AMOR, NO SEU CORAÇÃO,
LINDO E CHEIO DE ESPLENDOR,
INUNDOU DE ALEGRIA,
NA BELEZA DESTE DIA,
HARMONIA CALOROSA,
AMOR, BELEZA E POESIA...

CADA GESTO E FIDALGUIA,
ARCO-ÍRIS QUE IRRADIA
TODA A BELEZA DO AMOR...
UNGINDO COM BEM-QUERER, 
NA MAIS SINCERA AMIZADE,
DÁDIVA DIVINA, A POESIA, 
A DALINHA, DÁLIA –FLOR...
*
Versos e foto de Violante Pimentel

terça-feira, 3 de março de 2015

PARA O CORDEL DE SAIA

SE TEM MULHER NO CORDEL
VOCÊ TEM QUE RESPEITAR.
Dalinha Catunda

PARA O CORDEL DE SAIA
 *
Vai fundo na caminhada
Que o homem parece raso
Vivendo quase um ocaso
Já se perdendo na estrada,
É hora da mulherada
Tomar o tempo e o lugar
Não adianta chorar
Achar que a vida é cruel,
SE TEM MULHER NO CORDEL
VOCÊ TEM QUE RESPEITAR.
*
No tempo da plenitude
O homem cai no vazio
Fugindo do desafio
Covarde e sem atitude
Coitado ainda se ilude
Não sabe como se dar
O que é que vai lhe restar
Senão tirar o chapéu?
SE TEM MULHER NO CORDEL
VOCÊ TEM QUE RESPEITAR.
*
De uma costela de Adão
Dizem que a mulher foi feita
E sendo assim tão perfeita
Imaginemos então
Se fosse do coração
Que Deus pudesse a criar
O mundo ia proclamar:
Oh criatura do céu!
SE TEM MULHER NO CORDEL
VOCE TEM QUE RESPEITAR.
 *
Naturalmente é sem músculo
No seu jeitinho de moça
Duvida da sua força
O macho já no crepúsculo
Sendo somente um opúsculo
Da obra que vai ficar
O que é que vai lhe sobrar
Senão  caminhar ao léu?
SE TEM MULHER NO CORDEL
VOCÊ TEM QUE RESPEITAR
*
Não falto com a verdade
E peço que me acompanhe
Já que a mulher é a mãe
De toda a humanidade
Pra não ficar na saudade
O homem vai conquistar
Ao seu ladinho um lugar
Fazendo bem seu papel,
SE TEM MULHER NO CORDEL
VOCÊ TEM QUE RESPEITAR.
*
Mote de Dalinha Catunda
Décimas de Morais Moreira

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Reunião na ABLC

Reunião na ABLC, Academia Brasileira de Literatura de Cordel

Fotos da tarde festiva em Santa Tereza, onde além de discutirmos o calendário de 2015, ainda tivemos a presença do cantor e compositor Morais Moreira alegrando com sua música o final da reunião. Contamos com a presença, Gonçalo Ferreira, Madrinha Mena, Zé Walter Pires, Rosário Pinto, Erinalda, Ivamberto, Aragão, Dr. Willian, Isael e esta que vos fala.
Fotos e nota de Dalinha Catunda

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Homenagem aos 450 anos do Rio de Janeiro



Colegiado da ABLC na homenagem aos 450 do Rio de Janeiro
Voltando a falar sobre a homenagem que será prestada pelo colegiado da ABLC, ao Rio de Janeiro pelos seus 450 anos, quero agradecer aos poetas que já me enviaram suas estrofes, tem estrofes maravilhosas. Continuo aguardando mais participações para fechar o cordel.
Cada poeta deverá mandar uma décima de sete sílabas para compor o folheto. Pelas estrofes que já recebi teremos um trabalho de qualidade.
Lembro aos poetas da ABLC que moram no Rio de Janeiro, que durante o ano de 2015 faremos homenagens a Cidade Maravilhosa e seria importante a participação de todos, pois em caso de apresentações, cada um declamaria sua estrofe.
Fico aguardando
Dalinha Catunda 

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Cidade Maravilhosa 450 Anos



CIDADE MARAVILHOSA
QUATROCENTOS E CINQUENTA ANOS
1
Quatrocentos e cinquenta
Anos vai fazer o Rio
Agora em dois mil e quinze
E pelo que desconfio
Vai ser festa o ano inteiro
Para o Rio de Janeiro
Cidade que aprecio.
2
A cidade ornamentada
Nova idade comemora
Desde o começo do ano
Nos festejos se aprimora
O Rio está em festa
E o povo se manifesta
Logo na primeira hora.
3
Com a mensagem do Papa
Com oferendas no mar
Com telões em toda orla
E o povo a se aglomerar
Na passagem deste ano
Saiu do papel o plano
Pro Jubileu celebrar
4
O Papa Francisco lê.
Uma importante mensagem
É um presente divino
E que sublime homenagem!
Para essa gente ditosa
De fibra e bem corajosa
Numa feliz abordagem.
5
A noite chegou festiva
Um novo ano raiou
Na praia de Copacabana
Um letreiro se avistou
O mundo inteiro comenta
Quatrocentos e cinquenta
No mar do Rio brilhou.
6
Também quero celebrar
Esse Rio de Janeiro
Que completa ano em março,
Logo no dia primeiro
A Deus peço inspiração
Pra cantar com precisão
Sem me perder no Roteiro.
7
Neste meu canto agreste
Bem repleto de emoção
Rogo ao Santo padroeiro
Que é São Sebastião
Que proteja esta cidade
De toda nocividade
Dela seja o guardião.
8
Eu rezo para São Jorge
No templo ou no terreiro
Como o povo carioca
Tenho fé neste guerreiro
Vermelho gosto de usar
Quando saio pra rezar
Frente ao santo milagreiro.
9
Na igrejinha da Penha
Promessas eu já paguei
Subi toda escadaria
Ajoelhei-me e rezei
E mantendo a minha fé
Eu continuo de pé
Neste Rio que adotei