Seguidores

sábado, 16 de novembro de 2019

PROJETO LER


Olá amigos e leitores,

Estarei no Projeto LER, que tem como missão: Transformar pessoas através da educação e conscientização, estimulando a ética ambiental, ecológica e sustentável a toda a sociedade, contribuindo assim com a diminuição dos riscos ambientais e com a desigualdade social através da informação.

Acredito que levando a literatura de cordel para as atividades do Projeto LER, exerço meu papel de cidadã e autora. Estarei lá, no Campo de Santana, na Esquina do Autor, dia 20/11/2019, às 12:00h, com meus folhetos.


Farei leituras e conversarei sobre literatura de cordel: suas origens,  seus autores mais tradicionais, a chegada da MULHER como autora, suas formas de expressão e, principalmente suas modalidades. É uma literatura que obedece rigorosamente normas que a norteiam - métrica, rima e oração. E todas as características que deram a  ela o título de Patrimônio Cultural Brasileiro, OUTORGADO pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Espero ter sua companhia
Texto: Rosário Pinto
Colaboradora do CORDEL DE SAIA

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

1ª REUNIÃO ENTRE IPHAN (RJ) X DETENTORES DO BEM REGISTRADO 07/11/2019



Literatura de cordel – Bem registrado em Setembro de 2018, no Livro das Formas de Expressão, como Bem de Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro.

Iphan – Mônica Costa, Letícia, Nina, Marcel e Miguel

Cordelistas detentores do Bem Registrado – Rosário Pinto, Dalinha Catunda, William J. G. Pinto, Ivamberto Albuquerque, Cícero do Maranhão, Geraldo Aragão, Sepalo Campelo, Severino Honorato, Zé Salvador, João Batista Melo, Victor Alvin (Lobisomem) e Erinalda Villenave.

Pauta – ações de salvaguarda

Apresentação de cada cordelista presente com informes sobre as ações que desenvolvem junto aos grupos de que participam nas suas comunidades e das expectativas futuras para o enriquecimento dos estudos da literatura de cordel.
Texto: Rosário Pinto
Colaboradora do CORDEL DE SAIA

CORDEL BAIANA DE ACARAJÉ


Lançamento do Cordel, BAIANA DE ACARAJÉ, autoras Dalinha Catunda e Rosário Pinto
O IPHAN Rio de Janeiro, estará celebrando no dia 25 de novembro o Dia Nacional das Baianas de Acarajé. Eu, Dalinha Catunda e Rosário Pinto, estaremos participando da homenagem ao Ofício das Baianas de Acarajé com um cordel de nossa autoria.
A Literatura de cordel, após seu registro como Patrimônio Imaterial e cultural Brasileiro vem tendo mais espaço e já discute parcerias com o IPHAN.
Dalinha Catunda. cad.25 da ABLC

domingo, 3 de novembro de 2019

IPHAN E POETAS DE CORDEL

Cordelistas radicados no Rio de Janeiro, estou repassando o convite feito pelo IPHAN. Eu estarei lá, e você?
Prezados cordelistas,
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) registrou a Literatura de Cordel como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro em setembro do ano passado, como responsável em nível federal pela preservação do patrimônio material e imaterial no Brasil. Uma vez o registro feito, gostaríamos de marcar uma reunião com os cordelistas residentes no estado do Rio de Janeiro. O objetivo é estabelecer um primeiro contato com os senhores e as senhoras, para explicar a política de salvaguarda para a Literatura de Cordel a ser realizada pela Superintendência , ouvir suas demandas para o Bem Registrado e tirar quaisquer dúvidas que tenham. A reunião está marcada para dia 07/11 (quinta-feira) a partir das 10:00, no Auditório da Superintendência do IPHAN-RJ (Av. Rio Branco 46, Centro – Rio de Janeiro, 3º andar).
.
Dalinha Catunda, cad.25 da ABLC
Idealizadora e gestora do Cordel de Saia e do http://cantinhodadalinha.blogspot.com/
dalinhaac@gmail.com

terça-feira, 22 de outubro de 2019

ENCONTRO NA Escola Municipal Reverendo Martin Luther King




ENCONTRO NA Escola Municipal Reverendo Martin Luther King

Hoje, 22 de outubro de 2019, o Cordel de Saia, representado por Dalinha
Catunda e Rosário Pinto, cumpriu o compromisso assumido com a Escola
Municipal Reverendo Martin Luther King.
Convidas pelas professoras Lilia Marcia de Almeida Silva e Lilian Ferreira de
Azevedo (professoras de geografia) e, que nos receberam muito bem, junto
com a professora de português, Cristina Carvalho de Araújo.
A visita à Escola teve como finalidade repassar nossas experiências com a
literatura de cordel para os alunos.
Foi uma reunião proveitosa em que conseguimos entre declamações e
esclarecimentos sobre a história e as regras da literatura cordel, apresentar
essa literatura diferenciada para os alunos, que atentos, fizeram um bonito
papel nesse acontecimento cultural.
O evento contou com a colaboração, na monitoria, das alunas Eduarda de Lima
dos Santos, Milene Santos de Oliveira e Letícia Vieira.
Como sabemos a literatura de Cordel agora é Patrimônio Cultural Imaterial
Brasileiro e com esse reconhecimento através do IPHAN – Instituto do
Patrimônio Histórico e Artístico Nacional cabe a nós, como detentores desse
Bem, repassar e propagar a literatura de cordel para que ele se
mantenha viva e passando de geração em geração.
.

MULHERES DESTEMIDAS


MULHERES DESTEMIDAS
*
LINDICASSIA NASCIMENTO
Sem medo de solidão
Sigo firme meu destino
Sou gente de multidão
Vivendo sem desatino
Encaro a vida sem dor
Mesmo sendo fingidor
Meu coração clandestino.
*
DALINHA CATUNDA
Eu não temo a solidão
Que dirá o meu destino
Se a vida ficar sem graça
Jamais vou perder o tino
Procuro outra direção
Dou asas ao coração
Nesse peito nordestino.
*
BASTINHA JOB
Já eu não temo o destino
E sei viver isolada
Foco muito no ditado
Antes só que misturada
Porque, a má companhia
Empana a alegria
E vem sempre camuflada.
*
Dalinha Catunda cad. 25 da ABLC
dalinhaac@gmail.com 



quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Plenária de outubro de 2019 da ABLC



PLENÁRIA DE OUTUBRO DA ABLC
Ontem estive na plenária de outubro da ABLC - Academia Brasileira de Literatura de cordel.
Assuntos da pauta:
Tomou posse como pesquisador o professor Thomas Webber que vive na Califórnia é estudioso da Literatura de Cordel e tem interesse nesse intercâmbio.
Entre os temas abordados tivemos uma primeira conversa com dois representantes do Ministério da Saúde, sobre um projeto unindo Literatura de Cordel e medicina. Fui indicada para colaborar com o projeto, pelo meu elo com poetas da ABLC que moram fora do Rio de Janeiro. Estou na torcida.
Na parte Recreativa contamos a bonita apresentação dos músicos, Severino Charlito e Emerti Maracajá, que cantaram trechos do livro de Gonçalo Ferreira da Silva, Águas Primordiais, entre alguns instrumentos utilizados, a beleza do berimbau.
Aproveitando uma sugestão minha, parte do colegiado presente, declamou sua participação no Cordel da Reciclagem, cordel esse, que ainda não havia sido lançado.
Agradeço ao poeta Zé Salvador que fez o registro fotográfico.
.
Dalinha Catunda cad.25 da ABLC
E Idealizadora e administradora do:
http://cantinhodadalinha.blogspot.com/
Rio de janeiro, 16 de outubro de 2019
dalinhaac@gmail.com