Seguidores

quinta-feira, 23 de junho de 2016

O DÃO DE JAIME PEDINDO PRA APANHAR

O DÃO DE JAIME PEDINDO PRA APANHAR
*
DÃO DE JAIME
*
Eu vou bulir com Dalinha
Só pra ver o alvoroço
Dizem que ela é mais dura
De que carne de pescoço
Não tolera desaforo
Eu vou preparar meus coro
Que aí vem chumbo grosso.
*
DALINHA CATUNDA
Dão eu estou sossegada
Vem você me aperrear
Quem não tem o que fazer
Procura até encontrar
Se prepare para o tombo
Pois eu vou lanhar seu lombo
Só pra você se mancar.
*
DÃO DE JAIME
Dalinha se eu te pegar
Na cidade de Barbalha
Vou botar uma cangalha
Um jogo de cassuar
Uns tronco de jatobar
E uns pau de arrueira
Pra fazer minha fogueira
Depois lhe dou uma pisa
Acabo com a poetisa
Da cidade de IPUEIRAS.
*
DALINHA CATUNDA
Vou fazer um juramento
Vou até deixar escrito
Em você boto é cambito
Pra deixar de ser marrento
A carga de um jumento
Vou fazer você levar
Se resolver empacar
Eu lhe como no cipó
Vou bater mesmo sem dó
Pra você me respeitar
*

Xilo de Cícero Lourenço.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

EM LOUVOR A NATUREZA

EM LOUVOR A NATUREZA
*
DALINHA CATUNDA
Entre a estrada e o céu
Entre a folhagem e a flor
A vida segue adiante
Mostrando seu esplendor
Perante tanta beleza
Vou louvando a natureza
E a Deus pai o criador.
*
BASTINHA JOB
Louvo esse céu anilado
Tanta planta verdejante,
Flores lindas e rosadas
Da paisagem insinuante;
E ergo os olhos meus 
Admirando esse Deus
E sua obra gigante!
*

Foto de Cayman Moreira

terça-feira, 14 de junho de 2016

ENTREVISTA EM VERSOS




ENTREVISTADA: DALINHA CATUNDA (DC)  
ENTREVISTADOR: Gilberto Cardoso dos Santos (GCS)
*
GC: Cara Dalinha Catunda,
Poetisa e cordelista,
Quero, em forma de cordel,
Fazer-lhe esta entrevista
Rainha dos menestréis,
Fale-nos de seus cordéis
Esboce uma mini lista.
 *
DC: Gilberto, caro poeta
Eu agradeço o convite
E fico lisonjeada
Com a proposta acredite
Vou puxar pela memória
E lhe contar minha história
Se a musa assim me permite.
 *
Dos cordéis que escrevi
Bem mais de cinquenta são
O mais ilustre de todos
É a Invasão do Alemão
Tem pelejas virtuais
Até sobre animais
E o cordel do Lampião.
 *
GCS: Como foi a sua infância?
Tem alguma formação?
Fale-nos de sua origem
Do que traz-lhe inspiração
A rimar, quando aprendeu?
Como se desenvolveu
Essa tão grande paixão?
 *

segunda-feira, 13 de junho de 2016

MULHERES CANTANDO QUADRÃO À BEIRA MAR EM BARBALHA

MULHERES CANTANDO QUADRÃO À BEIRA MAR EM BARBALHA
*
O Cordel, “MULHERES CANTANDO QUADRÃO Á BEIRA MAR” foi lançado no evento cultural do dia 24 de maio em Barbalha. Esse lançamento aconteceu lá, porque a maioria das mulheres era do Cariri. Quero mais uma vez agradecer a todas que participaram deste cordel coletivo atendendo meus apelos e enriquecendo a caminhada das mulheres cordelista. E agradeço de coração as poetisas que lá estiveram lendo suas estrofes e prestigiando o evento.

Dalinha Catunda

domingo, 12 de junho de 2016

Êx namorad@s

Êx namorad@s
*
Você foi meu namorado
Você foi minha paixão
Você foi o meu suspiro
Foi a minha inspiração
Foi o amor da minha vida
Mas deixou-me entristecida
Ao ferir meu coração.

*
Ao ferir meu coração
Você foi e não é mais
Não é mais o meu querer
Meu querer ficou pra traz
Por traz de uma velha história
Da velha e gasta memória
Memória frívola fugaz!

*
Lindicássia Nascimento 12 de junho de 2016.


quinta-feira, 9 de junho de 2016

TRIBUTO A VANDINHO PEREIRA

TRIBUTO A VANDINHO PEREIRA
*
Quem gosta de cantoria
De poeta e Violeiro
É só vir ao Juazeiro
Que vai ter essa alegria
Na Verde Vale a magia
Envolve peleja e verso
Quem conduz esse universo
E nele já fez carreira
É o Vandinho Pereira
E no Ceará DiVerso.
*
Sempre envolvido em cultura
Ele assim segue adiante
Seu empenho é constante
Promove a literatura
E o cordel que configura
Nossa arte popular
Está sempre a propagar
Essa nossa tradição
Em rádio e televisão
Onde costuma atuar.
*
Festival de repentistas
Cantoria de Viola
Ele faz e vira escola
Dá vez e voz aos artistas
Encanta os apologistas
Deste mundo do repente
E deixa o povo contente
Em cada competição
Em sua organização
Comprova ser competente.
*
Tem espaço garantido
Nossa arte popular
Vandinho soube abraçar
E sempre tem promovido
Por isso é tão querido
Esse ser abençoado
Que por Deus pai foi mandado
Pra cumprir a sua sina 
E sua missão divina
É da cultura cuidar
Dalinha Catunda 
*

quarta-feira, 8 de junho de 2016

O Lançamento do meu Cordel em homenagem a SPB

Lançamento do meu Cordel em homenagem a SPB
Este é meu cordel em homenagem a Sociedade dos poetas de Barbalha.
Sou muito bem acolhida no Cariri Cearense, onde fui adotada e foco meu movimento cultural.
O Cariri é farto em movimentos onde a tradição jorra em suas múltiplas formas.
Hoje dou nome a Cordelteca, Dalinha Catunda, que fica em Barbalha e assim sendo cresce minha responsabilidade em divulgar e abastecer esse nicho de cultura popular onde a Literatura de Cordel se faz presente.
Não poderia deixar de citar e com louvor a grande participação de Vandinho Pereira que patrocinou e lançou o cordel através do seu programa Ceará Diverso Itinerante, pela TV Verde Vale o que resultou numa concorrida festa

Dalinha Catunda