Seguidores

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

CORDEL FEMININO NO COLÉGIO PEDRO II

AS ANDANÇAS DO CORDEL FEMININO NO RIO DE JANEIRO.
Ontem dia 18 de outubro tive o prazer de apresentar uma palestra, O MUNDO FEMININO DO CORDEL, no Campus Engenho Novo II do Colégio Pedro II, com duração de uma hora, para turmas do Programa Nacional de Integração da Educação Básica com a Educação profissional na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos. (Proeja).
Contei com a participação da cordelista e acadêmica da ABLC Rosário Pinto que como parceira nessa minha caminhada não poderia faltar. Rosário em sua fala expôs sua caminhada na literatura de cordel com muita propriedade.
Na plateia tivemos a marcante presença do homem que faz teatro em cordel, Edmilson Santini, que logo após a palestra fez seu animado show.
Agradeço a professora Ana Paula Alves o convite e além do convite a organização.
Estou agradecida a todos que lá estiveram.  Era uma plateia atenta, participativa e posso dizer até calorosa.
Após a palestra, tosos queriam abraçar, tirar fotos, e além de comprarem bastantes cordéis, faziam questão do autógrafo.
Fiquei maravilhada com a receptividade e com as novas portas que se abrem para a literatura de cordel nas escolas do Rio de Janeiro.
OBRIGADA PEDRO II!

Nota de Dalinha Catunda

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Gente do Ceará

BENTO RAIMUNDO
GENTE DO CEARÁ
*
O vaqueiro está no jeito
Pra montar seu alazão
Já botou o seu chapéu
Não esqueceu o gibão
Se passar no meu terreiro
Pra janela vou ligeiro
Pra um aceno de mão.
*
Versos de Dalinha Catunda
Foto de Bento Raimundo.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

DOS ENCONTROS NO CARIRI

DOS ENCONTROS NO CARIRI
A casa da poetisa Josenir Lacerda desde sempre é um ponto de cultura. Eu, em minhas idas ao Cariri, tenho lá, meu ponto de pousada.
Primeiro porque sou muito bem recebida e depois porque temos uma abençoada parceria.
Ser hospede do casal, Miguel Teles e Josenir Lacerda, é um grande privilégio, pois mesmo sem sair de casa respiramos cultura.
É difícil um dia que não tenha a visita de pessoas ligadas ao mundo da poesia e das tradições nordestinas.
Em cada canto da casa é visível as referências a cultura popular, seja em fotografias, objetos, música, enfim, em tudo que circunda o ambiente qualificado de Cordel e Arte.
Pensem na oportunidade que tive de passar uma tarde ao lado de Lulu Lacerda, Paiva Neves, Evaristo do Cordel, Josenir Lacerda, Clevinson Viana, Maércio Lopes Miguel Teles e Amora completando o quadro histórico.
Foi uma tarde como poucas, regada a muitas histórias, onde a gente aprende a respeitar, a conhecer melhor e a querer bem nossos amigos poetas. AMEI!

Nota e fotos de Dalinha Catunda

terça-feira, 10 de outubro de 2017

A POSSE DA NOVA DIRETORIA DA SPB

Finalizando o roteiro cultural: O JURAMENTO
No dia 17 de setembro de 2017, assisti com muito orgulho, com prazer, e até com emoção, no Geossitio, Riacho do Meio em Barbalha, a posse da nova diretoria da Sociedade dos Poetas de Barbalha.
Registrei o juramento. Naquele momento tive certeza que a SPB, que sempre fora tão bem administrada por presidentes do sexo masculino, não perderia sua continuidade, seu crescimento e seu brilho com a nova diretoria composta por esse grupo:
Presidente – Lindicássia Nascimento.
Vice – presidente - Maria de Fátima Vieira
secretária - Angela Maria Pereira
2ª Secretária - Maria Eliane Leite
1ª Tesoureira Maria do Rosário Lustosa
2º Tesoureiro – José Joel de Sousa
Quero aqui oferecer meu apoio a presidente, Lindicássia Nascimento e a sua vice-presidente, Fátima Vieira, e dizer que acredito na gestão dessas duas mulheres que com certeza arregaçarão as mangas e darão o seu melhor em prol da Sociedade dos Poetas de Barbalha.
Meus parabéns a todos que compõem essa entidade, que a união chegue em forma de elo unindo cada vez mais, cada membro dessa sociedade.
Estive no evento representando a Academia Brasileira de Literatura de Cordel
E como Madrinha da Cordelteca da Sociedade dos poetas de Barbalha.

Nota e fotos de Dalinha Catunda

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

A FILHA DE DONA FAFÁ



A FILHA DE DONA FAFÁ no roteiro cultural
A festa da posse da nova diretoria da Sociedade de Barbalha, teve de tudo um pouco. Violeiros, cantores, grupo Flor do Cariri, com cirandas, cocos e cantigas de roda.
A tarde foi pouca para tantas apresentações e uma delas foi a estreia da peça, “A FILHA DE DONA FAFÁ”.
A talentosa atriz, Fátima Correia, e eu, Dalinha Catunda, membros do grupo, FLOR DO CARIRI, juntas com Tranquilino Repuxado, nos apresentamos no evento levando um pouco de humor para a animada plateia.

Nota e fotos de Dalinha Catunda

SOMOS NORDESTINAS


SOMOS NORDESTINAS
*
Eu sou nordestina
Igualzinha a tu
Sou flor e espinho
Do mandacaru.
*
Sou a brisa mansa
Que traz calmaria
Mas sou tempestade
Se alguém me agonia.
*
Sou água que cai
Em pleno verão
Sou fogo que queima
Se o caso é paixão.
*
Versos Dalinha Catunda

Foto de Lindicássia Nascimento

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

No Crato na biblioteca Maria Socorro Lima











Seguindo a maratona cultural
Em 19 de setembro, estive me apresentando em mais um evento cultural, desta vez, na Escola Juvêncio Barreto que reinaugurou a Biblioteca com o nome de Maria Socorro Lima.
Eu e Josenir Lacerda, lançamos nosso cordel em parceria, VIVA A LEITURA! Na minha modesta avaliação, um cordel muito bom, leva a xilo de Maércio Lopes e cabe muito bem nas escolas.
Foi um belo evento com muitas atrações. Tranquilino Ripuxado se apresentou muito bem, foi bastante aplaudido. Entre muitas atrações, declamou também Dariany Sami que vem se especializando na arte de declamar.
Contamos com a nobre presença de Miguel Teles esposo de Josenir Lacerda, músico e apologista da cultura regional.

Dalinha Catunda

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

NO MEMORIAL PADRE CÍCERO EM JUAZEIRO



Da longa agenda cultural: Homenagem ao saudoso poeta Sílvia Grangeiro.       
Em Juazeiro do Norte, no Memorial Padre Cícero, uma bela e merecia homenagem ao saudoso poeta Sílvia Grangeiro, no dia 20 de setembro de 2017.
Na ocasião, no Palco com Simone Grangeiro, Rosário Lustosa, Josenir Lacerda. Participei junto com Josenir declamando nossas glosas em um mote de minha autoria: “Hoje não tem cantoria, tem só viola a chorar.”
Foi um bonito evento com figuras importante do mundo do cordel e do repente.
Foi muito bom abraçar os velhos amigos entre eles meu querido Pedro Bandeira do qual eu sou madrinha na Academia Brasileira de Literatura de Cordel.

Nota e fotos de Dalinha Catunda

Conte um conto














CONTE UM CONTO

Ainda no roteiro cultural, dia 22 de setembro, participei com a poetisa Josenir Lacerda, na Vila da Música, de um evento cultural na organizada biblioteca, intitulado CONTE UM CONTO. Além da roda de conversa, Josenir e eu apresentamos nossa peleja, NANÃ DE PRINCESA E CHIQUINHA DO CARRÍ. Contamos com a presença de Miguel Teles, Fátima Prado e Virginia Liduina.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

AS MULHERES DO CORDEL COM MÍRIAN TELES

AS MULHERES DO CORDEL
Com Mirian Teles
*
Mulher que ama seus filhos
Sempre protege seu lar
Ela é a base de tudo
Sabe tão bem educar
Na saúde é companheira
Na doença enfermeira
Bom exemplo tem pra dar.
*
Maria Mirian Teles, professora aposentada, poeta e cordelista, natural do Baixio das Palmeiras Crato Ceará, residente em Santa Fé.
Nascida aos 15 de junho de 1938, filha de Juvenal Ferreira Nobre e Raimunda Luzanira Teles Nobre.
Casada com José Valdo Teles, tem oito filhos e dezoito netos.
Entre os diversos trabalhos produzidos, destaca-se livro de poesias ”Minhas Memórias” editado em 2003.
É dedicada defensora da cultura regional.

Foto e pesquisa de Dalinha Catunda.

Festival de poesia em Crato





Festival de Poesias no Diocesano em Crato
No Colégio Diocesano no Crato, com muita honra, junto com Bastinha Job, Josenir Lacerda e Aldemá de Morais, fazendo parte do júri no Festival de Poesia. Emocionante ver jovens e crianças se iniciando na arte de versejar.

Dalinha Catunda

Peitudas e Prevenção

PEITUDAS E PREVENÇÃO!
*
Você que é mulher peituda,
Tome sua decisão
O câncer de mama mata
Faça sempre a prevenção
Pra não ser surpreendida
E por em risco sua vida
Se valha da precaução.
*
Se já passou dos cinquenta
O exame é obrigatório
Corra e faça sem medo
Escape do purgatório
Não pense em ataúde
Cuide de sua saúde
Só isso é obrigatório.
*
Se na família tem casos
De câncer reincidente
Esse é mais um motivo
Pra você seguir em frente
Ultrassom, mamografia
Mudam sua biografia
Disso fique bem ciente.
*
O autoexame auxilia
Ajudando a detectar
Nódulos que por ventura
A mulher possa portar
Por isso tome coragem
Siga o que diz a mensagem
Prevenir é se cuidar!
*

Fotos e versos de Dalinha Catunda

BIBLIOTECA EM MINHA CASA




BIBLIOTECA EM MINHA CASA

Ainda da agenda Cultural:
Fotos do belo trabalho que faz Ana Paula Ferreira com as crianças de Triunfo em Nova Olinda.
Foi gratificante participar dessa contação de história a convite de Josenir Lacerda que em sua nobreza sempre divide espaço com seus colegas. Contamos com a presença de Tranquilino Ripuxado e Dariany Sami Sousa. Ficamos encantada com ambiente, as crianças e o projeto de Ana Paula Ferreira.
Nota de Dalinha Catunda

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

A BIODIVERSIDADE DOS IPÊS


*
É chegada a Primavera e com ela a beleza dos Ipês!

A BIODIVERSIDADE DOS IPÊS

O Ipê tem várias cores
Ilustrando seu encanto,
Com ele me emociono
Sua beleza, eu garanto,
É de pura poesia.
Traz sempre a alegria
Inspirando nosso canto
*
Os amarelos são fortuna
Não apenas de valor
Mas de algo mais profundo
Muito mais encantador
São aqueles que iluminam
E também que nos fascinam
Repletos de tanta flor
*
A cor rosa é primavera
Bela como uma aquarela
Das mulheres de Outubro
Que não caem em esparrela
Que cuidam de suas vidas
São guerreiras aguerridas
Fita rosa na lapela.
*
O branco nos traz a paz
O que todos precisamos
O ar puro que respiras
Transcendentes de seus ramos
Paz, harmonia e beleza.
Tem na flor toda a pureza
É o ar que respiramos.
*
Existem multicolores
São de flores germinadas.
Vindos de um mesmo ramo
Cores diversificadas.
Permanecem muito unidos
Bordados, juntos, cerzidos
Como gêmeos, bem grudados
(Rosário Pinto)
rosariuspinto@gmail.com

Encontro com mulheres no Crato


Participei indicada por Josenir Lacerda, apresentando o cordel de minha autoria, NÃO DEIXE O HOMEM BATER NEM EM SEU ATREVIMENTO do “Encontro de Mulheres Rurais”, que contou com mesa de debates e palestra, foi realizado na quadra do Ceja Pedro Rocha de Oliveira. O evento foi oferecido pelo Projeto Paulo Freire, que está sendo desenvolvido pela organização não governamental (ONG) Instituto Flor do Pequi.
O encontro reuniu mulheres de dez municípios do Cariri atendidos pela ONGe contou, também, com a presença de movimentos sociais, sindicatos e coletivos. Segundo Vanda Rosendo, coordenadora da Flor do Pequi, o evento já havia sido pensando dentro da programação do Projeto Paulo Freire. “A gente entende que vive numa região extremamente violenta contra as mulheres, então, realizamos esse debate. Precisamos empoderá-las”, explica Vanda, acrescentando que, além de gênero, o tema juventude está em debate.

Dalinha Catunda

domingo, 1 de outubro de 2017

No Crato, no Cordel na Feira.


Da agenda cultural:
 Registrando o Cordel na Feira, projeto do SESC, desta feita lançando o cordel COISAS DO MEU SERTÃO, do poeta Zé Govin, O Poeta Apaixonado. Prestigiando o lançamento, Josenir LacerdaTranquilino Ripuxado, Dane de Jade, Luciano Carneiro, Mirian Teles, Carlos Henrique Soares entre outros poetas e figuras da cultura popular.
Nota de Dalinha Catunda

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Oficina Escola Barão de Itacuruça

Dia 18 de setembro 2017, a convite das professoras Maria das Graças da Silva Cunha e da diretora Marisa Bittencourt da Escola Barão de Itacuruça, Tijuca, realizei Oficina de Cordel para três turmas. A receptividade foi excelente. Já havia um trabalho prévio com os alunos, que cantaram um poema de cordel.
Apresentei as noções básicas da literatura de cordel:

- a chegada ao Brasil e sua melhor adaptação ao Nordeste;

- a função da oralidade como fonte de transmissão de conhecimentos;

- a peculiaridade das formas de expressão e do saber e fazer literário, transmitidas de geração a geração;

 - o olhar do poeta cordelista como um atento observador dos processos de atualização da sociedade em sua estrutura social, política e/ou tecnológica;

- a importância da literatura de cordel em sala de aula;

- as principais formas de composição poética: quadras, trovas, sextilhas e setilhas e décimas;

- a trajetória da literatura de cordel de versos cantados, impressos e mais modernamente publicados em mídias virtuais;

- apontei fontes de pesquisas (sites e blogs) e locais para aquisição de folhetos;
- a pontei a forte participação da mulher na literatura de cordel;

- a composição das capas, principalmente em desenhos, fotos e xilogravuras.

A Oficina foi encerrada com uma Ciranda preparada pela professora de música com os alunos.
Parabenizo professores(as) pelo interesse e envolvimento com a literatura de cordel

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Oficina Literária na E.M. Ginásio Aleksander Henryk Laks


Dia 31 de agosto realizei Oficina de cordel na E.M. Ginásio Aleksander Henryk Laks a convite da professora Thays Eci da Silva de Castro. Fui recebida pelas diretoras Fernanda de Barcellos de Mello, Elha Maria Aragão que ofereceram a estrutura necessária para a realização da oficina. O objetivo foi promover a literatura de cordel nas escolas e cativar a atenção dos alunos que foram muito receptivos e tiveram ótima participação. O objetivo das oficinas é levar a professores e alunos a importância das expressões populares e das suas manifestações vinculadas a poesia, o canto e demais manifestações de cunho popular. Ressaltamos o caráter de oralidade como fonte de transmissão de um saber e fazer literário que foram transmitidos de geração a geração; a riqueza das expressões da poética popular; a importância da literatura de cordel como ferramenta de aprendizagem e entretenimento.
A metodologia utilizada foi apresentação com Datashow exemplificando as principais modalidades da literatura de cordel.
A professora Thays realiza um excelente trabalho na Sala de Leitiura da Escola. Logo que cheguei fui surpreendida com uma exposição de xilogravuras feitas pelos próprios alunos e mural com as noções básicas da literatura de cordel.
Acredito ter atingido os objetivos desejados e agradeço a todos a gentiliza com que fui recebida. 



segunda-feira, 21 de agosto de 2017

FESTA JUNINA


FESTA JUNINA
Aqui, de nada resmungo,
Fico só atrapalhada
Sigo o ritual da festa
Deixei faca bem fincada
Lá no pé da bananeira 
E fiquei na espreitada.


Gosto de me divertir
Com todos os rituais
O São João é bem repleto
De crendices sem iguais 
Tem Correios Amorosos
Com cartinhas geniais.


Eu já tenho um rapaz
Lá em casa a me valer,
Mas como gosto da festa
Estou pagando pra ver
E dançando nesta festa
Vou até o amanhecer


Quando eu era bem pequena
Lá na minha Bacabal
Festejava o São João
Em noitada sem igual.
E castanha sapecada,
Pra animar o festival.


Tinha dança de quadrilha,
Casamento na fogueira
Ciranda e cirandinha
Em noites brincadeira.
(Rosário Pinto)