Seguidores

domingo, 23 de maio de 2010

Cinquenta anos de charme e beleza


Brasília, flor do cerrado

*

Brasília, brilhante e bela.

Logo que te conheci

Não pensei que um dia

Me apaixonaria por ti

Foram muitos os prazeres

No tempo que aí vivi

**

Aprendi a te amar

Brasília, raio de luz

De um horizonte infinito

De cor que a todos seduz

No peito ficou a saudade

Que até hoje me conduz

***

Lembro a linha do horizonte

Brasília, flor do cerrado

Com o brilho de seus dias

Meu coração encantado

De saudades de outros tempos

De um amor sedimentado

****

Sua bela arquitetura

Niemeyer imaginou

Com seu viço verdejante

Meu coração conquistou

Hoje que vivo distante

A saudade se instalou


(Maria Rosário Pinto)

13/05/2010

5 comentários:

  1. Que bonito poema. Eu fui duas vezes a Brasilia e gostei muito.
    Lindas palavras e foto, excelente.
    Um bom domingo a vc, Rosário!

    ResponderExcluir
  2. Amiga, uma homenagem tão linda e terna. Um poema feito com o coração e a alma de uma poeta.


    Lindo domingo! Beijos, com carinho.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, SAM,
    É somente um DECLARAÇÃO A BRASÍLA!
    bjs, Rosário

    ResponderExcluir
  4. Olá Rosário,
    Gostei de seu poema sobre Brasília.
    É preciso cantar uma Brasília hospitaleira, aconchegante que não tem nada a ver com a Brasília que nos mostram na televisão.
    Existe uma outra Brasilia além da Brasília dos políticos. É a Brasília de muitos nordestinos, de brasileiros de outros estados que ali chegaram, ajudaram a construir e ali fizeram morada.
    Beijos,
    Dalinha

    ResponderExcluir
  5. Dinda,
    Agradeço pela linda homenagem à minha cidade amada. Amo e tenho orgulho de Brasília e de ser Brasiliense. Aos que não conhecem fica o convite... com as belas palavras de uma bela poeta e cordelista.
    Beijos.

    ResponderExcluir