Seguidores

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Interação de Dalinha Catunda e Glória Braga

DALINHA CATUNDA
*
Pensando num tal sujeito
Fico desorientada
Minha pena vira nada
E nem escrevo direito
Eu topo qualquer preito
Pra ganhar seu coração
Sem ele perco a razão
Perco rumo e estribeira
Me queimo feito fogueira
E a pena cai pelo chão.

*
Com ele no pensamento
Minha pena desatina
Quando meu amor destina
Seu calor nesse momento.
Fico sem discernimento
Com tanto amor e paixão…
Não penso em mais nada não,
E pego a falar besteira
Me queimo como fogueira
E a pena cai pelo chão…

9 comentários:

  1. Parabéns Dalinha por trazer mais uma poetiza para o CORDEL DE SAIA. Seja bem vinda Glória Braga.
    Rosário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rosário! Foi muita gentileza de Dalinha me trazer aqui. Gostei bastante do blog. Com certeza, voltarei.

      Excluir
  2. Meninas, meu abraço rimado:

    Com ele me sinto escrava
    Meu coração nem palpita
    Não me sinto mais bonita
    Minh’alma nem se destrava
    E certamente não dava
    Pra escrever com a razão
    Nas cordas do coração
    Esse amor, essa cegueira
    Me queimo feito fogueira
    E a pena cai pelo chão.


    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou ótimo, Claude! É a glória estar aqui "entretantos" poetas de talento!

      (Os comentários removidos continham erros de digitação)

      Excluir
    2. Obrigada...

      Escrever DA LINHA à imaginação.

      Abraço

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Claude e Glorinha,
    Sou eu quem fica feliz com as ilustres colegas do Besta Fubana, poetas de qualidade, dando o ar da graça neste blog que criei com o intuito de receber e reunir as mulheres que gostam de versejar.
    Beeeeijos para as duas,
    Dalinha

    ResponderExcluir