Seguidores

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Interação entre Dalinha Catunda e Claude Bloc

DALINHA CATUNDA
*
Sem me fiar só na glória
Ou numa vida puída
Ponteei o labirinto
Por onde fui conduzida
Jamais perdi o novelo
Que me indicava a saída.
Ipueiras - Ceará
CLAUDE BLOC
*
Puxando o fio DA LINHA
No tear dessa história
Fiando as bordas do tempo
Desenrolando a memória
No carretel da saudade
A nossa dedicatória.
Crato Ceará

7 comentários:

  1. Dalinha,

    Gostei de me encontrar aqui, assim tão versejada...
    Obrigada por esse espaço e sobretudo por sua delicadeza.

    Abraço,

    Claude

    ResponderExcluir
  2. Tece o fio da meada
    Desce a água tão ligeira
    O fio se desenrola
    Saudade faz bagaceira
    A água fica gelada
    Acaba com a brincadeira.

    ResponderExcluir
  3. Claude,
    Você verseja bem e faz bonito nas estrofes.
    Não basta rimar e metrificar, tem que saber emendar um verso ao outro com poesia.E isso você faz! Parabéns!!!!
    Neste mesmo blog, clik no marcador: "Mulheres do Cordel" você vai ver muita gente do Crato e do Juazeiro.
    Meu abraço

    ResponderExcluir
  4. Obrigada pela dica. Conhece Bastinha Job?

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Conheço e amo de paixão. Quando vou a Crato, vou para casa de Josenir Lacerda e Bastinha vai sempre me visitar.

    ResponderExcluir
  6. Ela é uma cordelista de primeira!!!

    ResponderExcluir
  7. QUE BACANA ENCONTRAR DALINHA E CLAUDE EM SEXTILHAS TÃO LINDAS! AMEI !

    ResponderExcluir