Seguidores

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Maria das Neves Batista Pimentel, Pioneira no Cordel

 ALTINO ALAGOANO
O primeiro registro de um cordel escrito por uma mulher é de 1938, com o cordel "O violino do diabo ou o valor da honestidade", escrito por Maria das Neves Batista Pimentel, mais conhecida como Altino Alagoano.  Era filha de Francisco das Chagas Batista, poeta e editor de cordel, dono de uma livraria e uma tipografia, o que facilitou sua entrada no mundo do cordel  e  facilitou a impressão e a comercialização dos folhetos.  Maria das Neves vivia numa sociedade que até o início do século XX, na maioria das vezes,  via a mulher apenas como uma procriadora e educadora de seus filhos; por isso, seu papel era de passar oralmente as tradições e histórias de seu povo.

Os nobres, eruditos, mantinham contato com a cultura popular através de suas mães, irmãs, esposas e filhas, e em muitos casos teriam sido criados por amas camponesas, que lhes cantavam baladas e contavam -lhes estórias populares. (BURKE, 1989, p.55)
Em sua produção, Maria Pimentel passou a utilizar  o  primeiro nome de seu marido, Altino de Alencar Pimentel, que também era poeta. O segundo nome,  seguindo a tradição dos cordelistas, remete ao estado onde ele nasceu: Alagoas.
Todos os folhetos que foram vendidos na Livraria de meu pai ou que foram impressos, tinham o nome de homem, eram homens que faziam, não existia naquele tempo, folheto feito por mulher, e eu, para que não fosse a única, né¿, meu nome aparecesse no folheto, não fosse eu a única, então eu disse:
- Eu não vou botar meu nome
Aí meu marido disse:
- Coloque Altino Alagoano” (QUEIROZ, 2006, p. 57)
Assim, mesmo sem grandes intenções, Maria das Neves abriu um espaço no mundo do cordel que continua existir até os dias de hoje,  a conquista da mulher dentro desse campo, mesmo com todas as limitações que ainda existem em pleno século XXI.
Referências bibliográficas:
BURKE, Peter. Cultura Popular na Idade Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
QUEIROZ, Doralice Alves de. Mulheres cordelistas: percepções do universo feminino na literatura de cordel. 2006. (Mestrado Literatura Brasileira) - Faculdade de Letras da UFMG, Belo Horizonte, 2006. Disponível em http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/ALDR-6WEK7J - 10k. Acesso em 18/11/12.

Nenhum comentário:

Postar um comentário